segunda-feira, junho 29, 2009

3 semanas...

Concerto de Katy Perry


"Hello Katy" chegou a Lisboa e arrasou. O nome da digressão (que pouco terá de ingénuo) conseguiu atrair ao Campo Pequeno um verdadeiro batalhão de adolescentes, pré-adolescentes e até algumas crianças, devidamente acompanhadas pelos pais e "hot mamas" que, com certeza, se terão divertido tão ou mais que os filhos.

Hora e meia antes do início do espectáculo já as filas para a entrada estavam repletas de raparigas (o público feminino em maioria óbvia) bem apetrechadas de mochilas e roupa colorida. O entusiasmo era evidente.

Quando o português Gomo subiu ao palco a gritaria era ensurdecedora e o alinhamento puramente pop foi a abertura perfeita para o concerto da norte-americana, com "Feeling Alive" e os temas do novíssimo Nosy a brilharem. O artista foi o anfitrião ideal, dando algumas informações de bastidores sobre Katy Perry, às quais o público reagiu esfusiantemente.

Pouco após a hora marcada - e depois de o palco estar devidamente preparado com um gato gigante, três flamingos, uma cerca branca, uma caixa de correio e dois morangos insufláveis - a protagonista da noite entrou em cena descalça e com trajes diminutos - a condizerem com uma jovialidade saudável.

"Fingerprints" marcou a entrada da cantora e logo deu para perceber que o cenário pop da música de One of the Boys se transforma numa festa semi-rock em palco. A banda totalmente masculina, vestida de branco e rosa, foi um apoio competente. Perry, que percorreu incansavelmente o palco de um lado ao outro, não precisa de grandes artifícios (a Britney Spears não faria grande mal ter umas aulinhas com esta senhora) e rapidamente conquistou um público bem preparado para a receber.

Para surpresa de alguns presentes, ela tocou guitarra - de verdade, o que nos traz novamente Spears à memória, mais o seu piano que tocou sozinho no concerto do Rock in Rio há uns anos - e chegou mesmo a arriscar-se completamente sozinha em "Thinking of You", um dos singles de One of the Boys .

Depois de confessar que nunca tinha tocado para tanta gente - mentira ou não, os mais pequenos terão delirado com a ideia - e de perguntar se o público tinha ido em peso por saber que era metade portuguesa, Perry resolveu chamar até si um elemento do público que lhe acenava um cartaz a dizer "Leva-me para o palco". Diogo, o jovem, foi intimado a saltar "como se fosses morrer se parasses" durante o ponto mais alto da noite: "Hot N' Cold" conseguiu suplantar até "I Kissed a Girl", o momento por que muitos esperariam e que só apareceu, sabiamente, no final. No fim de "Hot N' Cold", alvo de coro gigantesco, Diogo saiu triunfante de palco, com duas beijocas da menina e uma guitarra meio partida (Katy resolveu parti-la e saltar em cima dela, qual estrela de rock endiabrada).

Antes de atacar "Mannequin", Perry pergunta ao público feminino se os homens portugueses beijam bem, queixando-se que os americanos não. A resposta, positiva, leva-a a dizer que devia devolver todos os seus namorados "de volta à fábrica". O que se seguiu foi uma encenação que maravilhou a audiência - em palco, um carteiro deu o mote a "Please Mr. Postman", clássico dos anos 60 que conquistou os Beatles e os Carpenters. Não havia carta do namorado para Miss Perry, apenas uma... Banana.

Com apenas um álbum em carteira, Perry não teve problemas em recorrer a versões divertidas. Depois de "Please Mr. Postman", a artista avançou apenas uns anos para cantar "Build Me Up Buttercup", dos Foundations.

De volta a One of the Boys , Katy avança com "Ur So Gay", canção dedicada a um namorado que usa mais maquilhagem que ela própria, e a resposta é massiva, apesar de o tema resultar mais fraco na versão live. No final, dirige-se a um dos seguranças do fosso frente ao palco para perguntar algo como "how do you say penis in portuguese?"... O homem, algo surpreso, lá lhe responde, entre sorrisos.

"Waking Up in Vegas", o mais recente single, voltou a recolher um coro bem afinado por parte do público, previamente convidado pela cantora a ir à Califórnia e a ficar em sua casa... Promessa complementada com uma viagem a Las Vegas para momentos de pura diversão. Chegou então o momento dedicado às "hot mamas" da plateia: "São fãs dos anos 80?" pergunta, antes de servir a sua versão de "Your Love" dos Outfield (incluída no EP Ur So Gay ). O resultado: ver o público das bancadas em pé novamente, depois de o mesmo ter acontecido em "Hot N' Cold".

Com o espectáculo a terminar, a cantora pergunta ao público se este se tinha divertido. Com a resposta a satisfazê-la, pega num dos morangos insufláveis e depois de dar início à última canção do alinhamento principal do concerto - "If You Can Afford Me" - arremessa-o para o meio da plateia, fazendo o mesmo com o outro (desaparecem os dois num ápice, como que engolidos pela multidão ávida de recordações). Depois de agradecer, Katy Perry sai de palco a correr.

O encore é precedido pela entrada em palco de um gato mecânico gigante, de olhos brilhantes azuis, a miar desalmadamente. Antes ainda de colocar um ponto final nas ânsias de muitos dos presentes e apresentar finalmente "I Kissed a Girl", Katy regressa ao palco vestida de gata e arranca uma surpreendente versão de "Don't Stop Me Now", dos britânicos Queen.

Apesar de algo desapontante ao vivo, "I Kissed a Girl" tem direito a vários pontos positivos. A encenação leva a cantora finalmente ao fosso, perguntando a uma menina, que pela voz não teria mais de 15 anos, qual o seu nome e se se tinha lembrado de levar o "cherry chapstick" (parte da letra da canção). Mariana, também conhecida como Cookie, diz não saber onde o guardou, o que não desarma Katy Perry, que pega num batom insuflável gigante e o aproxima do público. "Agora é a altura perfeita para porem o batom de cereja" faz rebentar finalmente "I Kissed a Girl", o hino lésbico das meninas heterossexuais mal comportadas. No final, sentada nos ombros de dois seguranças, Perry atira-se de mergulho para meio do público, arrancando um ou mais beijos a alguma sortuda. De volta ao palco, coloca um ponto final no concerto, saindo triunfante com uma bandeira brasileira às costas.




(In)confidência: Com o patrocinio da Crocas.
Não sermos valorizados é uma merda!!!

The Wedding



















Eu sou um...

Crocodilo!!

sexta-feira, junho 26, 2009


A Olá lançou um passatempo de declarações de amor e já sairam os resultados. Os vencedores vão ver as suas frases espalhadas em placares por todo Portugal. Eu estive a ver e achei algumas participações deliciosas. Por isso, convido-vos a espreitar:

http://www.declara-te.com/declaracoes/#/vencedores

quinta-feira, junho 25, 2009


Hoje, tive o telefonema por que tanto ansiava!!! =) E, se tudo correr bem, no dia 6 do próximo mês, a minha vida vai mudar!! Agora resta-me fazer figas...
Já agora, façam figas por mim também, miguinhos!!!

quarta-feira, junho 24, 2009

segunda-feira, junho 22, 2009

Transformers: Retaliação



Passaram-se dois anos desde que o jovem Sam Witwicky salvou o universo numa batalha decisiva entre raças rivais de robots alienígenas.
Apesar do seu acto heróico, Sam continua a ser um jovem normal com as ansiedades habituais sobre a ida para a universidade, deixando para trás a namorada Mikaela e separando-se dos seus pais pela primeira vez. E claro que existe o fardo adicional de tentar explicar a partida ao seu novo amigo e guardião robot, Bumblebee. Para Sam o objectivo é entrar no estilo de vida universitário, mas para isso, ele terá de ignorar o seu destino.
Embora Sam tudo faça para esquecer o conflito em Mission City e regressar à sua rotina diária, a batalha entre os Autobots e os Decepticons, embora classificada como incidente top secret, provoca várias mudanças. O Sector 7 foi dissolvido e o seu mais leal soldado, o Agente Simmons, foi despedido sumariamente. No seu lugar, uma nova agência, a NEST, foi criada.
Utilizando comandos com experiência de campo como Lennox e Epps, NEST quer trabalhar lado a lado com os Autobots para prevenir outro confronto mortífero entre estes e os Decepticons.
Infelizmente, o Conselheiro da Defesa Estatal Theodore Galloway possui pouca clarividência para compreender os perigos inexoráveis que se avizinham. Motivado para ganhar controlo de todas as organizações de defesa, Galloway determina-se a acabar com a NEST, acreditando que qualquer ameaça de guerra é agora uma ilusão.
No preciso momento em que a vida de Sam se organiza na universidade, adaptando-se ao seu novo e intrometido colega de quarto, Leo e à sua atraente amiga Alice, Sam começa a ser atacado por visões que lhe iluminam o cérebro, como relâmpagos. Com receio de estar a ser afectado pela mesma doença que afectou o seu avô, Sam esconde estas visões até ao ponto de não conseguir mais ignorar as mensagens e símbolos que lhe assombram a mente.
Apesar dos seus planos, Sam vê-se novamente no centro da guerra entre os Autobots e os Decepticons com o futuro do universo em jogo. Sem o saber, Sam tem em si a chave para o desenlace dos esforços entre o mal e o mais recente poder do bem. Com a ajuda dos seus amigos, dos seus companheiros na NEST e até dos seus pais, Sam descobre como honrar o bom-nome dos Witwicky, deixando de esconder o legado da sua família: Sem sacrifício, não há vitória!


(In)confidência: Com o patrocinio do MySpace.

160º Postal

A Irina mandou-me este postal da Ucrania.

159º Postal

O Ching mandou-me este postal a agradecer pelo meu =)

158º Postal


A Maren voltou a escrever-me, dizendo-me que gostava muito de ser minha penfriend =). Além de dois postais, enviou-me uma carta enorme onde me contou parte da sua vida, partilhando comigo alguns dos seus desgostos mais recentes, como a morte do marido =( , e os seus hobbies. Fiquei a saber que ela adora gatos e que tem 4. Agora tenho de ver se lhe escrevo de novo.

157º Postal

Este postal veio da Turquia, e isto é a única coisa que posso dizer sobre ele porque não tinha mais nada escrito... =(


156º Postal

De Oregon, chegou-me este postal tão bonito =)

155º Postal

Este postal foi-me enviado pela Marieke em gesto de agradecimento pelo o que eu enviei. E é um "home made card" porque foi ela que o fez.

154º Postal

O Ricardo voltou a escrever-me e, desta vez, já não me mandou selos estragados =P (Ele próprio fez a piadinha!!). Os pais dele são de Trás-os-Montes =) Ah, e ele quando morava cá torcia pelo Benfica, mesmo morando no Porto. Ehehehe.

Concerto de Coco Rosie

Surgiram como CocoRosie em 2003 e o primeiro disco, La Maison De Mon Rêve, foi editado em 2004, ano em que deram o primeiro concerto dado em Portugal, conquistando desde logo uma verdadeira legião de fãs que se revê nas vozes femininas de Joanna Newson, Billie Holiday e outras divas com timbres distintos.

Neste regresso a Portugal apresentaram o seu novo disco Coconuts, Plenty of Junkfood que estará disponível exclusivamente nos seus concertos. Em palco incorporaram naturalmente instrumentos reais como piano, harpa e teclados e ainda uma variedade de objectos, instrumentos infantis e brinquedos que ajudaram a criar uma atmosfera cativante e uma música expressiva e delicada que nos desperta os sentidos e os sonhos.

O concerto foi no CCB, na noite passada. E descobri-o por acaso, numa noite no Bairro Alto. Para quem não sabe, esta é uma das minhas bandas favoritas. Só tive pena de ter perdido os primeiros 20minutos de concerto =(


(In)confidência: Obrigada, Nuno.




Concerto de Lenka


Lenka, vive actualmente, em Los Angeles, mas começou a sua carreira na Austrália, como actriz onde participou em várias séries de TV e apresentou um programa para crianças.

«Lenka» foi o primeiro álbum e o responsável pela viragem de actriz para cantora e compositora.

«The Show» foi utilizado em inúmeros anúncios publicitários e séries de Televisão como «Betty Feia» e na banda sonora do filme "Angus, Thongs & Perfect Snogging". Em Portugal, "The show" chega hoje às prateleiras das lojas de música.

A estreia de Lenka em Portugal foi esta 6ª feira, dia 19, às 21:30h, no Blues Café, em Lisboa. Foi um mini-concerto exclusivo e eu estava lá =) E tenho a dizer que adorei cada bocadinho!! A Lenka é super simpática e querida. E tem uma voz tão doce... Fiquei mesmo fã!!!


(In)confidência: Com o patrocinio do Disco Digital.





E logo a seguir...






Bike Tour!!

E sim, eu consegui fazer os 15km!!! Bem, nas partes que era a subir levei a bicicleta à mão, mas de resto fiz tudo!! Claro que, agora, tou toda dorida... mas foi uma aventura gira!!! Além disso, o cenário era bem bonito =)

Ontem foi noite de...






Despedida de solteira!!! =)