quarta-feira, Novembro 19, 2014

Acabadinha de sair da AE de "The Hunger Games: A Revolta parte 1" :D



Cartaz do FilmeSinopse:
Num futuro pós-apocalíptico existe Panen, uma nação administrada por um governo totalitário que domina os seus 12 distritos. Uma anterior insurreição fracassada dos distritos contra o Capitólio resultou no suposto extermínio de um 13.º e num acordo tácito de rendição entre os restantes. Para relembrar a sua posição de obediência perante o Governo, foram criados os Jogos da Fome. Nesta cerimónia anual, cada distrito é obrigado a enviar dois jovens entre os 12 e os 18 anos para participar numa competição de vida e morte de que apenas um sairá vencedor. Alguns meses após a 74.ª edição dos jogos, que sagrou Katniss Everdeen e Peeta Mellark como vencedores, eles são forçados a percorrer o território, marcando presenças oficiais de forma a dignificar o evento. Durante estas visitas, ambos se apercebem de um sentimento de revolta do povo de Panen, o que lhes alimenta a esperança numa rebelião colectiva. Porém, o Capitólio está ainda sob o controlo do terrível Presidente Snow que, ao perceber o perigo que cada um dos vencedores representa enquanto símbolo de força e liberdade, decide preparar uma edição especial dos jogos, nos quais os vencedores dos anos anteriores terão de digladiar-se até à morte. Durante esse evento, depois de uma luta desesperada pela sobrevivência, Katniss é resgatada da arena e enviada para o 13.º Distrito, que agora lidera uma rebelião organizada contra o Capitólio. Vista como o símbolo de um povo que anseia pela liberdade, ela entrega-se de corpo e alma ao que sabe ser a última oportunidade de revolta contra o poder instituído, reconstruindo assim uma sociedade justa, onde todos possam coexistir pacificamente.
Realizado por Francis Lawrence ("Constantine", “Eu Sou a Lenda", "Água aos Elefantes"), esta é a primeira parte do último tomo da trilogia de ficção científica escrita por Suzanne Collins, que se tornou um "best-seller" internacional. No elenco encontramos Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Donald Sutherland, Liam Hemsworth, Julianne Moore, Philip Seymour Hoffman, Stanley Tucci, Woody Harrelson, Lenny Kravitz, Elizabeth Banks e Willow Shields, entre muitos outros.

Vejo-me.

Tenho medo. Não sei o que vou encontrar. Talvez eu mesma. Há muito tempo que não abro a porta do passado. Fechei-a. Fechei-te lá dentro. Terei eu a coragem de enfrentar agora o que abrir esta porta representa? Dou um passo atrás. Deixo-me amedontrar pela vida que levo. Mais uma vez e uma vez mais. Tropeço na mesa. Caio e olho-me ao espelho. Vejo-me. Vejo-me pela primeira vez. Choro. Sorrio. Sou mais agora do que alguma vez fui.

Postsecret - Classic Secrets

wedding

free

furniture

save

seven

five

seeme

terça-feira, Novembro 18, 2014

I think i've got a new crush! (",)


Melt my happiness
Some kind of fucked up mess
Looking out for you is a kind of waiting game
That leaves me running circles into my brain
Oh my loneliness will take no part in this
Oh oh overdose..


There will be many other nights like this
And i'll be standing here with someone new
There will be other songs to sing
Another fall, another spring
But there will never be another you

There will be other lips that i may kiss
But they won't thrill me like yours used to do
Yes, I may dream a million dreams
But how can they come true
If there will never ever be another you?


If a breeze, caresses me, it's really you strolling by
If I hear a melody, it's merely the way you sigh
Wherever you are you're near me, you dare me to be untrue
Funny, each time I fall in love, it's always you

P.S. I will always.

Quando morrem os sonhos de alguém, não morre também a pessoa que os tinha? Não passa aquela que antes fora chamada de pessoa a ser apenas um mero recipiente vazio e oco?

Será?!

segunda-feira, Novembro 17, 2014

Dores de ti.

Nunca uma dor de alma foi tão física como hoje. Sinto literalmente como se tivesses atravessado o meu peito com a tua mão e arrancando o pouco que ainda restava do meu coração pequenino e magoado. E o tivesses apertado até dele nada mais restar a não serem cinzas. Dói-me o espaço onde ele deveria estar. 

Dói-me o passado, o presente e o futuro. Doem-me todos os sonhos que tive contigo.

domingo, Novembro 16, 2014

Vulnerabilidades

Viu-a com a vulnerabilidade de mil sóis enquanto os primeiros raios da manhã entravam pela sua janela e nunca ela lhe parecera tão bela. Sabia que a estava a ver realmente pela primeira vez, com todos os seus medos e fragilidades. E, para sua surpresa, gostou ainda mais dela assim com todas as suas rugas emocionais expostas. Sabia que poucos tinham atravessado aquele caminho. Ela não era daquelas que facilmente abria a porta... E, de uma forma estranha e peculiar, sentia-se especial por estar a partilhar aquela parte dela, embora não a gostasse de ver triste. E nunca ele a tinha visto tão triste como agora. Nunca ela fora tão humana e tão real. E nunca ele se sentira tão atraído para ela como naquele preciso momento.

sábado, Novembro 15, 2014

sexta-feira, Novembro 14, 2014

Hoje janta-se por aqui!! xD


Gosto de estar contigo mas...

... se a resposta à minha pergunta for não, entao prefiro não falar nisso e deixar o assunto morrer. Prefiro que as palavras morram antes de serem invocadas.
Podia invocar mil e uma razões para não fazer a pergunta que fiz.e podia invocar mil e uma razões mais para não me responderes. Sei que, por vezes, te ponho numa posição ingrata. Sei coisas que preferia não saber. Sei que te vou amar para sempre independente do resto. E gostava de saber que sentes o mesmo. Mesmo que no ritmo descompassado de dois corações desencontrados.
E sei. Sei que somos uma impossibilidade crónica. Quase como um grito mudo preso na garganta. Sei muito mais do que queria e muito menos do que desejava. Sei-nos de cor. Sei cada esquina e curva, porque nunca tivemos rectas. Nunca escrevemos por linhas certas.
E talvez seja apenas um capricho mimado e infantil da minha parte querer uma pequena fracção de verdade condicionada se ela for de encontro a este desencontro constante de almas... o querer um pouco mais de mim em ti. Até porque hoje não me apeteceu calar a vozinha que escondo no fundo do armário. Porque hoje ela ecoou um pouco mais alto. Porque hoje, num dia completamente igual a todos os outros, senti mais a falta da tua mão imaginária afagando-me o cabelo num gesto de partilha de algo que não sendo nada poderia ter sido tudo.
E se a resposta é seca e curta, então recuso-me a ouvi-la. Prefiro calar a voz que me aconchega nas noites mais longas, atirá-la para um canto e ficar a vê-la lá, a definhar com o passar do tempo. Prefiro o desconforto do dia-a-dia à morte súbita de todo o seu ser.

Monstrinho apresenta-se ao serviço!

quinta-feira, Novembro 13, 2014

A tocar in repeat: Por ti demais


Por ti demais
Corri sem pensar
Faltou-me assim a razão
Sem tentar
Eu não te dei a mão
Por ti demais.

Por ti demais
Corri sem tentar
Faltou-me assim a razao
Sem pensar
Eu não te dei a mao
Por ti demais

Vem depois de mim
Aquilo que sobrou
É tarde mas enfim
Amanhã procuro o que sobrou.

quarta-feira, Novembro 12, 2014

Acabadinha de sair da AE de "Deixa o amor entrar" ;D


Cartaz do FilmeSinopse:
Rosie e Alex são amigos desde os tempos do infantário. Cúmplices desde sempre, cresceram a partilhar segredos, alegrias ou desgostos, nunca se dando conta do real significado que tinham um para o outro. Até que, com apenas 18 anos, Rosie engravida de uma relação casual. De um momento para o outro, os seus planos para o futuro alteram-se completamente, obrigando-a a crescer subitamente e a assumir o papel de mãe. Alex, por seu turno, segue para a universidade. Porém, apesar dos caminhos opostos, nem o tempo nem a distância se mostrará suficientemente forte para os fazer abdicar daquela relação tão especial. 
Realizada por Christian Ditter, uma comédia romântica que adapta "Where Rainbows End", escrito pela jovem irlandesa Cecelia Ahern.


terça-feira, Novembro 11, 2014

Eu juro que não é para fazer inveja mas...

Eu também estava lá, no concerto dos Guano Apes, no Meo Arena!

(In)confidência: E pelo andar da carruagem mais valia ter pago um "quarto no Mei Arena porque esta semana parece que não saio de lá!!

domingo, Novembro 09, 2014

Misty Fest 2014 - Buika

Dona de uma voz inconfundível e considerada uma das 50 melhores vozes do mundo, a cantora Buika não é estranha ao público português, e mais uma vez não desiludiu o seu público que encheu e carinhosamente a acolheu no CCB. 
Na apresentação do novo albúm “La Noche más Larga”, nomeado para os Grammy Awards 2014, a cantora fez as delicias do público português numa grande performance que durou aproximadamente 2 horas. Com um conjunto impressionante de músicos, Buika levou-nos numa viagem memorável pelo mundo do Jazz, Flamenco e Blues. A sua voz encheu o palco e a sua cumplicidade com a banda transpareceu e verteu para o público, tornando esta viagem num espetáculo intimo, poderoso e por vezes melancólico repleto de emoções fortes. 
Uma cantora única, um espetáculo arrebatador, numa noite que para muitos será inesquecível.

O que é bom acaba depressa!! xD

Mais um bocadinho do Amadora BD 2014:



E mais um bocadinho de "nóis":



Acabei de ver as 1ª temporadas de:

Criadas e Malvadas

Outlander

The Strain

 The Tomorrow People

Anatomia de Grey

sábado, Novembro 08, 2014

As vencedoras incontestaveis!!

A tocar in repeat: E Agora?



O que foi feito de ti
Eras perfeita em mim
Será que foste tentar encontrar
Que te foste libertar

Esperei tanto por ti
E caiu-me um manto em mim
Será que te perdeste a caminhar
Ou foi só para me castigar

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

Corri o mundo por ti
Mas o mundo correu sem mim
Será que tu partiste para além mar
Só para me abandonar

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

Não fiques para trás meu bem
Não quero que te percas por aí
Nesta selva de betão
É só confusão

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

sexta-feira, Novembro 07, 2014

Misty Fest 2014 - Olavo Bilac

Procurei-te.

Moldei-te na folha de papel balizado pelas palavras com que te descrevi. Esqueci-me de te fazer corresponder a uma realidade qualquer onde te pudesse encontrar e fazer meu para além daquela folha de papel velha e enrugada. E ainda assim procurei-te. Procurei-te em toda a parte apenas te encontrando em livros escritos pelas mãos de outras pessoas e em poemas revisitados por vozes que não a minha. Fiz-me sempre acompanhar pelo teu vazio e pela solidão que me preenchia a cada passo, nunca desistindo dessa minha busca incongruente. Não percebi que não passavas de uma mera folha de papel, um reflexo de mim, uma ideia perdida. Deixei-me perder nas horas que gastei na procura da tinta que gastara num papel que nunca fora o meu.

Eu não sou complicada,

sou complexa.

quinta-feira, Novembro 06, 2014

Peça de teatro "Rapsódia Batman" - Critica


Sinopse:
Os Possessos. João Pedro Mamede, texto; Nuno Gonçalo Rodrigues, direção; Catarina Rolo Salgueiro, Filipa Matta, Isabel Costa, Marco Mendonça, Nuno Gonçalo Rodrigues, João Pedro Mamede, João Vicente, Rafael Gomes, Rita Figueredo e Teresa Coutinho, interpretação. 

"Podemos dizer que esta rapsódia é o percurso de alguém até aos limites da sua cidade. E depois para fora dela, porque tem essa capacidade. Essa é a distância percorrida entre o esperámos por ti e o agora estás por tua conta. Ou seja, alguém sai à rua sozinho e escolhe apenas ouvir e nunca escolher. E aquilo que descobre é ilógico e negro, porque as pessoas não falam. Mas também não se calam. E a rima só é fácil porque as palavras são más. E para as combater chamámos o Batman. E como ele não vem, alguém o substitui." - Os Possessos

Perguntaste o que se passa na cidade 
A cidade é tipo o metro 
E as pessoas estão-se tipo a matar 
Por tudo e por nada por não aguentar 
Mas também porque as estão a obrigar 
in RAPSÓDIA BATMAN

(In)confidência:
Esta foi definitivamente uma das peças mais giras que eu já vi! (",)
Não é uma peça com actores conhecidos, mas posso dizer que é uma peça com actores jovens e talentosos, e que não me admirava nada de os ver daqui a uns bons anos como caras reconhecidas pelo grande público. Não é uma peça com um grande budget, mas posso dizer que é uma peça com um cenário simples e espectacular ao mesmo tempo, invocando uma época um pouco futurista visto se basear numa instalação de peças de computadores que consegue atingir facilmente uns 3 metros (o que deve ter dado um trabalhão imenso!).
Mas como, na escola, sempre me ensinaram que não se define algo pela negativa, eu digo-vos o que é esta peça!! Esta peça é um musical original (e quando refiro original refiro-me tanto ao facto da história em si ser original quanto ao facto das músicas também serem originais) que invoca a figura do Batman como um homem como qualquer outro que se cansa de ser o herói enquanto as pessoas continuam a morrer e a chamar por ele, a ansiar por um herói, numa cidade de onde ninguém saí a não ser através de um "concurso". Mas desenganem-se se pensam que o Batman é a figura principal e tudo o resto é secundário, porque isso aqui claramente não acontece devido a toda a dinâmica da peça (em que todos os actores tem solos).
Obrigada, Sérgio!! Adorei a peça!! xD As coisas que, de vez em quando, se encontram nas portas de um bar qualquer, né?! Definitivamente, uma surpresa muito agradável!!

Ui!! Que fomeca!!