terça-feira, julho 31, 2012

AE Flores de Guerra

O filme é muito bom, mas... claramente não estava preparada psicologicamente para ver este filme... foi como levar um valente murro no estômago... de tal forma que saí da sala de cinema sem sequer ter vontade de falar fosse com quem fosse, só me apetecia deitar-me na minha cama e ir dormir.

O filme é baseado no romance The 13 Women of Nanjing, do autor chinês Yan Geling, e o famoso Massacre de Nanquim - quando milhares de mulheres foram violadas e mortas pelas tropas japonesas que invadiram a cidade em 1937. 

Esta versão de Yimou não evita mostrar a violência, mas concentra-se mais no amadurecimento forçado das crianças, expostas à demonstração mais brutal do que significa ser adulto: a realidade da guerra. O filme oferece-nos um ponto de vista que não se costuma ver em filmes de guerra: a possibilidade de tirar do horror uma lição que não seja, simplesmente, a esperada negação do horror, mas algo mais complexo.


Doodle de hoje

Londres 2012 Argolas Masculino

Home, sweet home

segunda-feira, julho 30, 2012

Postsecret da semana









 

Ansiosamente à espera de...

Cheira-me que se vai tornar no meu novo vicio!!!

De qualquer forma, não podia deixar de dedicar este post ao Tiago!! 
É que é tal e qual:

Música do dia: Gangnam style

E a música de hoje não podia deixar de ser a actual música n.º 1 dos tops na Coreia!! 
Este videoclip teve mais de 4 milhões de visualizações na primeira semana, vê e vais perceber porquê (ou não…)!! Cá para mim é da dança sexy dele!!

Objecto de desejo do dia:

domingo, julho 29, 2012

Story of my life!!

Lembro-me particularmente que me tornei um pró nisto na época de exames...
Impressionante como uma pessoa consegue inventar de fazer as coisas mais incríveis só para evitar de fazer aquilo que tem de ser feito!! Lembro-me perfeitamente que nessas alturas a minha casa ficava extremamente desarrumada e suja e que eu sentia uma vontade urgente de a arrumar e até limpar... estranhamente nunca encontrava pó, mas que era uma bela desculpa lá isso era!! =P

A melhor publicidade de sempre:

Despicable Me Meets Twilight

Epah, não resisti!!! =P

sábado, julho 28, 2012

Republicar "Não compreendo as mulheres"


a mulher-objecto

Os objectos são todos estúpidos. A maior parte das vezes não nos apercebemos dessa estupidez latente em tudo o que nos rodeia e não vive, e quando nos apercebemos é demasiado tarde. É o Amor, ou a falta dele, ou a confusão nele, que nos faz sentir a estupidez dos objectos.
O problema é que nós sentimos sempre alguma coisa pelos objectos, nem que seja desprezo, e os objectos nunca sentem nada por nós. Este desequilíbrio da vida começa logo quando ainda somos crianças e decidimos dormir com um objecto qualquer. Adoptamos um urso de peluche, por exemplo, e fazemos tudo por ele durante anos a fio. Aguentamos firmes uma infância inteira, sempre leais, e quando finalmente os nossos pais, já preocupados com a nossa criancice aguda, nos separam à força, somos sempre nós que choramos. Nunca ele.
Hoje sentei-me no estúpido do meu sofá, por exemplo, com as mãos na cabeça e preocupado com a minha vida. Depois levantei os olhos e estavam todos na mesma, os objectos. A minha caixinha de música à espera que lhe desse corda, o televisor desligado e os sapatos amontoados a um canto da sala.
Os objectos fazem-nos perceber a nossa própria insignificância. Estão sempre na mesma, demonstrando que o mundo existe para além de nós, do que sentimos e de quem Amamos ou odiamos. A maior parte das vezes não nos damos conta disso, e quando damos é demasiado tarde. Para nós, não para os objectos.
Acho que é daí que vem a expressão mulher-objecto. Acabei de a ouvir, vinda amargurada da boca dum amigo meu. Dizia ele, enquanto virava as páginas duma revista qualquer com mulheres bonitas, que detesta mulheres-objecto. Eu percebo-o. Mulheres-objecto são aquelas por quem sentimos alguma coisa mas que se estão nas tintas para nós. São objectos, só porque nos fazem perceber a nossa própria estupidez e insignificância.

AE Brave - Indomável



Momento fofo do dia:

sexta-feira, julho 27, 2012

My kind of guy

Noticia do dia: A traição de Kristen Stewart a Robert Pattinson


Kristen Stewart traiu Robert Pattinson
Quando nada parecia abalar o romance entre os protagonistas de 'Twilight', Kristen Stewart é fotografada aos beijos com um homem casado, segundo afirma a revista US Weekly. O homem em questão é Rupert Sanders, realizador de "Branca de Neve e o Caçador", o último filme em que Kristen participou e encarnou a personagem principal, Branca de Neve. No mesmo set de rodagem encontrava-se também a mulher de Sanders, a atriz Liberty Ross, que interpretava a Rainha Eleonor, a mãe de Branca de Neve.
Liberty Ross já cancelou a sua conta na rede social twitter, de forma a evitar o assédio da imprensa, não antes de colocar uma última mensagem, na qual citou Marylin Monroe: "Às vezes algumas coisas más tem que acontecer para que outras melhores aconteçam".
O realizador de 42 anos, casado e com filhos, já emitiu um comunicado, no qual pede desculpa à sua família por ter sido infiel com a atriz de 22 anos. "A minha bela mulher e os meus filhos são tudo aquilo que tenho neste mundo. Amo-os com todo o meu coração. Rezo para que possamos superar tudo juntos", afirmou Rupert que se sente "destroçado" pela dor causada.
Também a jovem atriz terá enviou um comunicado à revista 'People':"Lamento muito por todo o constrangimento e dor que causei às pessoas próximas de mim e a todos os afetados por esta história. Esta imprudência momentânea comprometeu aquilo que tenho de mais importante na minha vida, uma pessoa que amo e respeito muito, Rob".
A atriz e o namorado, o ator Robert Pattinson conheceram-se há cerca de quatro anos, altura em que começaram a gravar o famoso 'Twilight' e têm sido bastante discretos na sua relação. Há apenas poucos meses atrás, o ator britânico tinha dado uma entrevista à edição italiana da revista 'Vanity Fair', na qual afirmou: "Nunca entendi pessoas que são infiéis. Os meus pais conheceram-se quando a minha mãe tinha 17 anos e o meu pai 25. Cresci a acreditar que um casal pode estar junto a vida inteira".

Doodle de hoje

Londres 2012, Cerimónia de Abertura
E arrancam hoje os Jogos Olímpicos!!

Ricardo Araújo Pereira não tem dúvidas!!!

"Em termos futebolísticos sou um Miguel Relvas!"

Entrevista a Ricardo Araújo Pereira no final do jogo “Um gesto contra a Fome”:

Parabéns Pedrocas!!!

quinta-feira, julho 26, 2012

Ah, podes podes!!!

Diabloooooooooooo!!
Whimsyshire style!! =P

(In)confidência: Este foi o meu post mais geek de sempre!!!

Só na América!!!


Chama-se Stubbs e é Presidente da Câmara de Talkeetna há 15 anos, uma pequena cidade do estado norte-americano do Alasca. O felino foi eleito há 15 anos atrás, numa altura em que os habitantes estavam fartos das falsas promessas dos políticos locais, e por brincadeira colocaram o Stubbs no boletim de voto e o gato acabou mesmo por vencer as eleições.
Durante estes longos 15 anos, o Stubbs serviu basicamente como atração turística da cidade, pois todos os turistas querem conhecer o animal que lidera a presidência da câmara de Talkeetna.
Segundo o relato de uma habitante de Talkeetna à Central Kentucky News, este é o melhor presidente da câmara que a cidade alguma vez teve.

Isso é que era de se ver!!

E eu ia estar sentada na linha da frente!! 
E só levava o balde de gomas!!
(É que eu não gosto de pipocas!)

Pois quero...

quarta-feira, julho 25, 2012

Red ligths - Mentes Poderosas


Gostei do filme apesar de ter achado a parte da introdução francamente má, até mesmo mal interpretada... em que as personagens não pareciam verdadeiras e até as falas eram demasiado forçados. No entanto, o filme começou a redimir-se mal começou a sério, revelando-se ser um thriller psicológico bem feito e com algumas reviravoltas que o espectador nunca vai vislumbrar até as ver acontecer bem diante dos seus olhos. Numa constante luta para provar que não existe nada para além da morte e até os fenómenos mais sobrenaturais tem uma causa bem natural, e quando digo natural quero mesmo é dizer humana na medida em que os mesmo são manipulados, os protagonistas deste filme leva-nos a questionar até onde a mente humana está disposta a acreditar naquilo que vê diante dos seus próprios olhos. E acreditem... a mente humana é uma coisa poderosa!

Acabei de ler:



Sinopse:
Sin, um antigo deus Sumério, era um dos mais poderosos do seu panteão… até à noite em que Ártemis lhe roubou a divindade e o deixou a um passo da morte. Durante milénios, o ex-deus convertido em Predador da Noite procurou recuperar os seus poderes e vingar-se de Ártemis. Mas agora tem peixes mais graúdos — ou demónios mais graúdos — com que se preocupar. Os letais gallu, que tinham sido enterrados pelo seu panteão, começam a despertar e estão famintos de carne humana. O seu objetivo: destruir a humanidade. Sin é o único que os pode deter… se uma certa mulher não o matar primeiro. E para quem apenas conheceu a traição, agora Sin terá de confiar numa pessoa que não hesitará em o entregar aos demónios. Ártemis pode ter roubado a sua divindade, mas outra mulher roubou-lhe o coração. A única pergunta é: irá ela mantê-lo… ou dá-lo a comer aos que o querem morto?

Opinião:
Quem me conhece sabe bem o quão fã eu sou da Saga Predadores da Noite, mal saí um dos livros e lá vou eu a correr devorá-lo! E devorá-lo é mesmo a palavra certa visto que em média leio o livro num dia!! É a Sherrilyn Kenyon tem uma escrita que nos agarra desde o primeiro momento e que nos deixa naquela ânsia de mais. E este livro não foi excepção!!
Neste livro encontramos como par romântico Sin, um antigo deus Sumério, e Katra, uma das aias de Ártemis, que é enviada por esta precisamente para matar Sin.
Já no volume 5 desta saga, "O Beijo da Noite", Katra nos tinha sido apresentada mas tinha ficado muito suspense e mistério no ar sobre o poder que ela detinha e quem seria ela.
Tenho a dizer que é um pouco difícil falar deste livro sem fazer spoilers para quem ainda não o leu... é que este volume acaba por ser um dos mais importantes porque além de se desmistificar um pouco mais a relação de Acheron e Ártemis, é ainda revelado um grande segredo. E não só... mesmo as personagens como Ártemis e Apollymi, que sempre apareceram retratadas como as más da fita, são aqui retratadas doutra forma, tornando-se mais reais. Tal como não existe ninguém inteiramente mau ou inteiramente bom, também aqui estas personagens começam a ganhar uma forma mais humana e coesa quando nos é dado a conhecer o outro lado das suas personalidades, justificando assim até algumas das suas atitudes anteriores. Mas não se deixem enganar pelas minhas palavras porque apesar de nos ser dada uma nova perspectiva sobre Ártemis, em que ela nos aparece como uma mulher carinhosa, protectora, magoada, ciente dos seus erros, arrependida, ela continua fiel a si mesma no que diz respeito à sua arrogância e egoísmo. 
Gostei particularmente da personagem de Kish e tive pena que não tivesse aparecido mais. Gostei do seu humor retorcido, que também está patente em Sin e Katra mas que tem mais foco nele. Também neste volume somos confrontados com um novo panteão e novos inimigos: os Gallu e as Dimme.
Repleto de personagens carismáticas e envolventes, este é um livro a não perder!
O único ponto mais negativo (digo mais porque não é inteiramente negativo) é o facto de a componente erótica neste livro, em comparação com os outros, ser mais diminuta. Da mesma forma, que a relação entre Sin e Katra, devido à própria história das personagens, nesse campo, aconteceu rápido demais.
Relembro a quem ainda não leu nenhum dos romances desta saga que pode (e deve!!!) ler qualquer um deles em separado, porque cada livro nos transporta até uma história diferente com inicio meio e fim, mas que seria melhor começar a ler pelo primeiro porque apesar das personagens principais serem sempre diferentes de livro para livro, essas mesmas personagens acabam por aparecer como personagens secundárias nos outros livros, entrelaçando assim os destinos das mesmas (o que na minha opinião é um dos aspectos mais característicos desta saga e que lhe confere um cunho de versatilidade e charme). 

terça-feira, julho 24, 2012

Do it yourself!!

Às vezes, há coisas tão simples que podemos fazer com materiais que já temos e que já não usamos por um motivo ou por outro, e que com um bocadinho de imaginação ganham um novo aspecto e ficam super na moda!!! Aqui vos deixo duas sugestões:


Ataque no Colorado: Os três heróis que morreram pelas namoradas

Três das doze vítimas mortais no massacre numa sala de cinema do Colorado, nos Estados Unidos, morreram ao utilizar o corpo como escudo para proteger as namoradas. 

Jon Blunk, Matt McQuinn e Alex Teves estão entre as 12 vítimas mortais do tiroteio ocorrido num complexo de cinemas em Denver, no estado do Colorado, durante a estreia do último filme da saga Batman. Em comum têm também o facto de terem morrido enquanto protegiam as namoradas das balas com o próprio corpo.

«Ele é um herói, e nunca será esquecido», disse a sobrevivente Jansen Young ao Daily News, falando sobre o namorado. «Jon foi atingido com uma bala que era para mim». O rapaz atirou a namorada ao chão e pô-la debaixo do banco, colocando-se sobre ela para a proteger, acabando por morrer nesse mesmo local. 

O mesmo acto heróico foi cometido por Alex Teves, de 24 anos,que ao colocar a namorada no chão acabou por ser atingido. 

A mesma reacção teve Matt McQuinn, de 26 anos, que ao colocar-se sobre a namorada no chão para a proteger conseguiu que a jovem escapasse apenas com um tiro no joelho, de cujo ferimento está agora a recuperar.

Três das vítimas do tiroteio em Denver morreram a salvar as namoradas
Alex Teves e a namorada Amanda Lindgren


Jon Blunk e a namorada Jansen Young

Três das vítimas do tiroteio em Denver morreram a salvar as namoradas
Matt McQuinn e a namorada




O que me apetecia fazer hoje o dia inteiro


Em vez disso, vamos lá trabalhar que a hora de almoço está a acabar!! =/

Doodle de hoje

115º Aniversário de Amelia Earhart

segunda-feira, julho 23, 2012

Postsecret da semana





Bob, o gato arraçado de cão!!


Já alguma vez viram um gato a comportar-se como um cão?! A sentar-se quando lhe mandam, a dar a pata quando lhe pedem... Não?! Pois bem, vejam então este video!!

sábado, julho 21, 2012

Cuidado com o que alimentas


Claramente eu ultimamente ando a alimentar o Evil...
Ou melhor, andam a alimentá-lo.
Eu já nem me dou é ao trabalho de dizer seja o que for...
Para quê?!Já percebi que de nada me vale falar.

Madagáscar 3

Layout_Madagascar3_Reg

Dirigido a seis mãos (Eric Darnell, Tom McGrath e Conrad Vernon), esta nova aventura traz-nos os inseparáveis amigos na sua busca por voltar a casa, o seu Jardim Zoológico em Nova York Em solo europeu e diante de uma "caçadora" compleatmente chanfrada e doida para ter a cabeça de um leão entre seus troféus de parede, os nossos amigos vêem-se obrigados a juntar-se ao circo de forma a conseguirem chegar aos Estados Unidos. 
Bem temperado com o mesmo bom humor dos anteriores, este filme ironiza com as leis trabalhistas na França e até mesmo a eterna "guerra fria" entre russos e americanos, representados pelo tigre Vitale e o leão Alex, traz-nos o lêmure Rei Julian apaixonado por uma ursa que gosta de andar de Ducatti,  um gangue de cães numa uma alusão às pinturas "caninas" de Cassius Coolidge, e um momento de clímax multicolorido (ao oportuno som de "Firework" da cantora pop Katy Perry) remetendo ao clássico Fantasia (1940) da Disney. 
O que eu tenho a dizer? Muito bom!!

sexta-feira, julho 20, 2012

Música do dia: Lullabies


Like lullabies you are,
Forever in my mind.
I see you in all,
The pieces in my life.
Though you weren't mine,
you were my first love.

I wanted to go away with you,
And I will leave all my troubles here.
I wanted to run away with you,
And I will bring all my dreams and fears.

Like lullabies you are,
Forever in my mind.
I see you in all,
The pieces in my life.
Though you weren't mine…
Like lullabies you are,
Forever in my mind.
I see you in all,
The pieces in my life.
Though you weren't mine

Though you weren't mine,
You were my first love.
You were my first love.

I wanted to start again with you,
And I will leave all my worries here.
I wanted only you.
I know that I (have fear with you??)

Like lullabies you are,
Forever in my mind.
I see you in all,
The pieces in my life.
Though you weren't mine…
Like lullabies you are,
Forever in my mind.
I see you in all,
The pieces in my life.
Though you weren't mine,

Though you weren't mine,
You were my first love.
You were my first love.
You were my first love.

Don't fuck with Chuck Norris!!

Interessante...


Quanto mais invisíveis nos sentimos mais vontade temos de desaparecer.