sexta-feira, setembro 28, 2007

Nanobiografias

Agora que começou o ano escolar, é bom que se comecem a preparar para mais uma época de estudo. Tenho estado a ler atentamente as completas biografias da Infopédia e cheguei à conclusão que as posso resumir em poucas frases. Obviamente, se aspirarem a ser alguém na vida, depois de lerem esta newsletter, esqueçam-na.
Adolf Hitler
Rapaz alemão, franzino, de tez pálida, bigodinho à ele e óculos redondos. Um belo dia, que na realidade de belo nada tem, resolveu matar todos os que não fossem da sua raça. Foi amante da inventora da depiladora eléctrica, a Eva Braun, o que decerto o ajudou a manter o bigode bem aparado. Quando viu o caso mal parado... suicidou-se.
Napoleão Bonaparte
Arrisco dizer que Napoleão foi o primeiro metrossexual da História. Tinha a mania das grandezas, andava a cavalo, e teimava em meter sempre a mão direita dentro do colete. Este militar, que viria a dar nome a um pastel na gastronomia popular portuguesa, tinha um sonho: conquistar tudo. Um certo dia as coisas correram-lhe mal... lembrou-se de tentar invadir Portugal e levou uma tareia. Passados alguns anos isolou-se numa ilha e morreu.
Cristóvão Colombo
Italiano resistente ao enjoo e amante de desportos náuticos, alguns estudos indicam que pode ter nascido em Portugal, tentou vender à corte portuguesa a ideia de explorar o outro lado do mundo. Os nossos dirigentes não compraram a ideia e ele vendeu-a aos espanhóis. Meteu-se numa nau e andou feito louco de um lado para o outro. Como está fácil de ver... deu de caras com São Salvador, Cuba, Haiti, Jamaica e afins.
Albert Einstein
Físico alemão, conhecido pelo penteado à Robert Smith dos Cure, concluiu (entre outras coisas) que tudo é relativo. Trinta segundos com o dedo entalado numa porta custam mais a passar que os mesmos 30 segundos a tomar café com a Gisele Bundchen. Tinha o estranho hábito de posar para fotos com a língua de fora.
As versões sérias e completas destas biografias podem ser consultadas aqui:
Dr. Matrix

Monty Python no Casino de Lisboa

Os Monty Python abriram os sentidos do mundo não só para a comédia, mas também para alguns temas importantes para as sociedades modernas: como trocar papagaios mortos, piadas enquanto armas mortíferas, canibalismo em agências funerárias, a presença de cangurus na Última Ceia.

A UAU, o Casino Lisboa, os actores José Pedro Gomes, António Feio, Miguel Guilherme, Bruno Nogueira e Jorge Mourato prestam a devida homenagem aos génios que lhes ensinaram boa parte daquilo que sabem sobre comédia, sobre o lado bonito da vida e sobre a arte de evitar ser esmagado por um pé gigante vindo sabe-se lá de onde, numa sucessão imparável de sketches clássicos dos Monty Python, traduzidos e adaptados por Nuno Markl.

Nota: Este espectáculo não contém alces. Um responsável da UAU tentou incluí-los à força, mas já foi despedido. =)

P.S. "Quando na merda estiveres, só és triste se quiseres. Olha sempre para o lado fixe da vida!!"

I Feira Medieval em Moscavide














Já falta pouco, muito pouco... =)



Come along with me to my little corner of the world / Dream a little dream in my little corner of the world / You'll soon forget that there's any other place / Tonight, my love, we'll share a sweet embrace

And if you care to stay in my little corner of the world/ We could hide away in my little corner of the world / I always knew that I'd find someone like you / So welcome to my little corner of the world

And if you care to stay in our little corner of the world / We could hide away in our little corner of the world / We always knew that we'd find someone like you / So welcome to our little corner of the world

P.S. Esta é para a Ritinha!! =) Só porque quero ver te a sorrir

quarta-feira, setembro 26, 2007


Apetecia-me um saco cheio de gomas...
Não aconteceu nada, apenas não tenho tido nada para dizer. Não que tenha ficado sem palavras, apenas acho que não devo dizer nada. Aliás, começo a acreditar que fico mais bonita calada. E o silêncio começa a ser uma boa companhia. Além disso, nunca corro o risco de não ser ouvida ou de ser mal interpretada. E, se perguntas pelo resto... não há resto. Apenas há mais um motivo para ficar triste.

Vanessa da Mata e Ben Harper - Boa Sorte/ Good Luck


É só isso / Não tem mais jeito / Acabou / Boa sorte / Não tenho o que dizer / São só palavras / E o que eu sinto / Não mudará

Tudo o que quer me dar / É demais / É pesado / Não há paz / Tudo o que quer de mim / Irreais / Expectativas / Desleais

That's it / There is no way / It's over / Good luck / I have nothing left to say / It's only words / And what l feel / Won't change

(Refrão)

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me / É demais / It too much / É pesado / It's heavy / Não há paz / There is no peace / Tudo o que quer de mim / All you want from me / Irreais / Isn´t real / Expectativas / Expectations / Desleais

Mesmo, se segure / Quero que se cure / Dessa pessoa / Que o aconselha / Há um desencontro / Veja por esse ponto / Há tantas pessoas especiais

Now even if you hold yourself / I want you to get cured / From this person / Who advises you / There is a disconnection / See through this point of view /There are so many special people in the world / So many special people in the world... in the world / All you want all you want

(Repete refrão)

Now were falling (falling), falling (falling) into the night (into the night), / Falling (falling), falling (falling) into the night (um bom encontro é de dois), / Now were falling (falling), falling (falling) into the night (into the night), / Falling (falling), falling (falling) into the night.

P.S. Esta é para ti, Necas. Boa sorte lá no Brasil.

quinta-feira, setembro 20, 2007

The Gift - Fácil de Entender (live @ Vodafone Soundclash)

Gostava tanto que fosse fácil de entender!!!

Hoje dei comigo a pensar na vida, mais propriamente na minha... E senti-me um pouco perdida, porque sei onde estou mas não sei para onde vou, nem o que me espera. E quando olho à minha volta vejo que toda a gente já está em algum lado ou então que está a caminho do que quer. É estranho este sitio onde me encontro sem direcção. É como se estivesse numa paragem de autocarros à espera que algum passe... e as horas esvaziam-se à minha frente, comigo sentada no banco, imóvel. E espero e espero... e não vem. E sinto-me cada vez mais sozinha... Vejo alguns dos amigos a irem para França, para Londres, para a Alemanha.. e eu sempre no mesmo sitio, sentindo inveja deles por irem para onde eu não vou...

terça-feira, setembro 18, 2007

My favorite things

Hoje, quero dizer adeus à tristeza, quero pensar em coisas que me fazem feliz, que me fazem sorrir!! Quero ser criança e estar feliz só por estar, esquecer tudo o resto!! Quero deixar-me inundar de alegria!! E quero contagiar todos os outros.

P.S. Gi, esta é para ti!!

Raindrops on roses and whiskers on kittens

Bright copper kettles and warm woolen mittens

Brown paper packages tied up with strings

These are a few of my favorite things!

Cream colored ponies and crisp apple strudels

Doorbells and sleigh bells and schnitzel with noodles

Wild geese that fly with the moon on their wings

These are a few of my favorite things!

Girls in white dresses with blue satin sashes

Snowflakes that stay on my nose and eye lashes

Silver white winters that melt into spring

These are a few of my favorite things!

When the dog bites, when the bee stings

When I'm feeling sad, I simply remember my favorite things

and then I don't feel so bad!

segunda-feira, setembro 17, 2007


" É preciso ter confiança na capacidade que cada pessoa tem para se ensinar a si mesma (...) Quando alguém encontra o seu caminho, não pode ter medo. Precisa de ter coragem suficiente para dar passos errados. As decepções, as derrotas, o desânimo, são ferramentas que Deus utiliza para mostrar a estrada. " Paulo Coelho




Será? A vida, ás vezes, é tão dificil... sei que há momentos de felicidade que valem por tudo, mesmo que durem cinco minutos e que depois tenhamos de arcar com as consequências. Porque são cinco minutos na nossa vida e o tempo inteiro na nossa memória. Mas essas recordações podem também nos torturar... É fácil quando não nos preocupamos com o futuro e quando o passado não vive dentro de nós, quando apenas o presente ocupa o nosso dia-a-dia... Mas o passado é aquilo que vivemos e que faz de nós quem somos hoje. Há pessoas que ficam presas ao passado e que fazem dele o presente e o molde para o futuro. Não digo que temos de esquecer, apagar ou fingir que nunca existiu, temos é de o arrumar ( deitar fora o que não presta e quardar os pequenos tesouros). Li, algures, que remoer coisas do passado, deixar-se prender por mágoas ou ressentimentos, ficar a tormentar-se com os erros e viver obcecado com aquilo que nunca mais volta não é a melhor maneira de existir. E acredito nisso porque ninguém consegue viver na sombra do passado enfrentando fantasmas imaginários!

Já não te conheço
para além do espelho.
O elo que outrora nos ligou
findou no tempo.
Escorrem agora
apenas as memórias
de um tempo passado
entre a aurora do amor
e a ilusão da noite.
O reflexo das sombras
ecoa na claridade
daquilo que já não existe
e o som,
por vezes, surdo,
ensurdece-me a voz.

Pensamento do dia:

" Este mundo é uma comédia para aqueles que pensam e uma tragédia para aqueles que sentem "

Hoje, ofereceram-me um trevo de 4 folhas!!! Fiquei tão feliz... =) Lembro-me de, em pequena, andar sempre a ver se encontrava algum... mas nunca tive essa sorte!! E, hoje, sem motivo algum, recebi um!! Se o trevo de 4 folhas é um simbolo de sorte, eu digo é que tenho imensa sorte em ter os amigos que tenho!!!!

Tentei saber o porquê exactamente de todo este mito à volta desta plantita e heis o que descobri:





“ A simbologia do trevo de 4 folhas está ligada aos 4 elementos: fogo, terra, água e ar.O trevo representa tudo o que compõe a natureza e há centenas de anos, de acordo com os místicos, ele tem o poder de atrair sorte”



“A raridade de um trevo de 4folhas transformou-o num amuleto para os antigos druidas, que habitavam em Inglaterra por volta do ano 200a.C.Eles acreditavam que quem possuísse um desses trevos poderia ver os demónios da floresta e ganhar alguns dos seus poderes sinistros.Actualmente virou símbolo de sorte”



“Segundo outra lenda, Eva levou consigo um trevo de 4folhas quando foi expulsa do Paraíso, o que lhe garantiu sorte.Por conta disso as pessoas até hoje gastam algum do seu tempo atrás deste milenar talismã”.

domingo, setembro 16, 2007

Um dia destes começo a escrever coisas mais profundas... prometo!
Done with boys !!!

sexta-feira, setembro 14, 2007


Cumulo da solidão: Uma pessoa comprar duas pizzas familiares só para ela!!

quinta-feira, setembro 13, 2007

quarta-feira, setembro 12, 2007

Serranho, espero ver-te a fazer isto mas com aviões!! Sim, porque agora já percebi porque dizes que não tens que carregar em botões... Realmente não é necessário!! Tira-me só uma dúvida... Também vais ter de usar luvas brancas e chapeú à caçador de formigas??

Desenganem-se aqueles que vão à procura da mítica série " Os imortais" porque, apesar de ter os meus actores da série, é realmente um filme muito mau!!
A demanda pela mortalidade começa.
O mundo esmorece no meio do caos. Vagueando por uma cidade devastada pelo clima de desordem instalado, Duncan MacLeod, o Imortal, recorda-se de outros tempos … tempos de felicidade, bem antes do amor da sua vida o deixar…
Sem esperança e sozinho, MacLeod junta-se a um grupo de imortais, entre eles, o seu misterioso amigo Methos e um mortal, o Observador Joe Dawson. Juntos, este pequeno grupo segue numa missão com o intuito de descobrir a origem do primeiro Imortal e a fonte da sua imortalidade.



No filme de animação "Duelo Imortal – A Animação, Colin MacLeod continua a sua perseguição incessante a Marcus Octavius – O Imortal que, centenas de anos atrás, tirou a vida à sua amada. A busca culmina em Nova Iorque, uma cidade que se vê em ruínas, arrasada por um vírus mortal. Nas épicas batalhas ao longo da história da Humanidade, Colin jamais conseguiu derrotar Marcus. Consumido pelo ódio e alimentado pela sede de vingança, Colin está mais forte que nunca e anseia confrontar novamente Marcus. No que diz respeito à vingança, a paciência é sem dúvida uma virtude. Mas ao fim de alguns milhares de anos, começa a ser uma virtude da qual Colin MacLeod está mais que disposto a abdicar. No fim, poderá haver apenas um …



33ª entrevista

Bem, já tenho estágio!! Depois de uma longa busca, lá consegui!! Vou estagiar na Villalobos e Ass. Mas tenho de admitir que me sinto um pouco assustada com esta nova etapa... A verdade é que tenho "medo" de crescer!! Vou ter de deixar de lado os meus jeans e as minhas malas com bonecos... Em certo sentido, vou perder um pouco da minha individualidade. Mas algum dia teria de ser... Odeio é não saber o que me espera!! Porque este é um mundo completamente novo para mim!! E, como se isto não bastasse, ligaram-me do Grupo Português de Advogados a dizer que eu tinha sido a "feliz contemplada" entre todos os outros "concorrentes" à única vaga para estágio existente!! Ou seja, andava eu com coisas de não ter onde estagiar e, de repende, tenho dois sitios!! Brrr... O que é que eu faço agora?! =/

Borboletas



Na classe dos insectos, a ordem das borboletas (Lepidoptera) constitui um dos grupos mais evoluídos e ricos em espécies, com cerca de 165 000 espécies identificadas em todo o mundo (cerca de 5 000 na Europa), número apenas superado pela ordem dos coleópteros (onde se incluem os conhecidos escaravelhos). Os lepidópteros estão presentes na grande maioria dos habitats naturais, existindo espécies com adaptações próprias às características de cada habitat, sendo o clima o principal factor que determina a área de distribuição das borboletas a nível global. Estão apenas ausentes no Árctico, Antárctico e nas altas montanhas com neves e gelos perpétuos.
A principal característica dos lepidópteros prende-se com o facto de possuírem inúmeras escamas que cobrem o corpo e as asas, dando a estas últimas múltiplos padrões de coloração. A própria palavra Lepidoptera significa literalmente “asas com escamas”. Outra característica diagnosticante comum à grande maioria dos insectos desta ordem é a presença de um proboscis, isto é, uma tromba de comprimento variável, enrolada em espiral, e que tem como função libar o néctar das flores e a água do orvalho.
Os lepidópteros são vulgar e empiricamente divididos em dois grupos, as borboletas e as mariposas. De um modo geral, são incluídas no primeiro grupo as borboletas coloridas que voam durante o dia e, no segundo, as borboletas com tons menos apelativos e que voam à noite. É verdade que em muitos casos estes pressupostos são verificados; no entanto, existem inúmeras excepções, de tal modo que esta é apenas uma divisão de conveniência, sem grande base científica. As antenas dos lepidópteros constituem uma característica diagnosticante utilizada na sua divisão em dois grandes grupos. A grande maioria das borboletas diurnas, incluindo todas as espécies europeias, têm antenas longas e filiformes, sendo por isso designadas por Rhopalocera. As mariposas têm maioritariamente antenas denticuladas ou pectinadas (mais raramente filiformes), estando assim incluídas no grupo designado Heterocera.
Evolução
Do ponto de vista histórico, os lepidópteros constituem um grupo relativamente recente. Apesar desse facto, muitas teorias foram apresentadas no intuito de identificar os ancestrais dos lepidópteros e grande parte das ordens da classe dos insectos foi considerada como o grupo que lhes deu origem. A maioria destas sugestões é puramente conjectural, uma vez que o registo fóssil conhecido é manifestamente insuficiente para formar uma ideia clara. Sabe-se, no entanto, que a ordem mais próxima é a ordem Trichoptera (insectos de tamanho pequeno a médio, de aspecto geral semelhante às mariposas). Apesar deste facto não significar que os tricópteros sejam os ancestrais dos lepidópteros, parece provável que os dois grupos tenham evoluído de um ancestral comum, há cerca de 250 milhões de anos, durante o Pérmico.
São conhecidos alguns fósseis, datados do Triássico, cuja forma se assemelha à de uma mariposa, não existindo, porém, a certeza se representam mariposas primitivas ou tricópteros. Embora as mariposas mais primitivas tenham coexistido com os dinossauros no Jurássico, há cerca de 150 milhões de anos, foram descobertos poucos fósseis relativos a esse período. Já nos depósitos rochosos do Cretácico Inferior, há 120 milhões de anos, identificaram-se inúmeros fósseis pertencentes, indubitavelmente, a um vasto leque de mariposas primitivas. Apesar de não serem conhecidos fósseis de borboletas deste período (o primeiro foi encontrado no Eocénico, há apenas 50 milhões de anos), estas já deveriam existir e foi a partir do registo fóssil do Cretácico que se tornou um pouco mais evidente a evolução dos lepidópteros. No início do Oligocénico, há 40 milhões de anos, existiam já todas as principais famílias de borboletas e a morfologia geral das espécies fósseis é semelhante à das borboletas actuais.
É aceite, de um modo geral, que as borboletas evoluíram a partir de uma forma de mariposa e inúmeras famílias de mariposas foram sugeridas como ancestrais das borboletas mas, uma vez mais, o registo fóssil é escasso para tecer certezas. Actualmente pensa-se que as borboletas e as mariposas de maiores dimensões evoluíram de um ancestral comum ainda não identificado.
O estudo dos fósseis não permite obter informação sobre os hábitos de voo dos primeiros lepidópteros, sendo impossível dizer com certeza se voavam de dia ou de noite. No entanto, os indivíduos das famílias com origem mais primitiva são maioritariamente diurnos, sendo assim provável que as primeiras mariposas fossem também diurnas. Muitos destes lepidópteros terão posteriormente adquirido hábitos nocturnos, em consequência da intensa predação por aves em grande expansão nos períodos Cretácico e Terciário. De facto, a acção conjunta de predadores, como aves, mamíferos, répteis e anfíbios, foi certamente suficiente para encorajar a evolução de hábitos nocturnos em muitas famílias de mariposas. No entanto, algumas famílias permaneceram diurnas, protegidas dos predadores por propriedades gustativas de aversão e coloração aposemática (coloração intensa de aviso contra predadores). Parece também provável que, em resposta à predação por morcegos, alguns lepidópteros com hábitos de voo diurnos, e pertencentes a famílias que são hoje predominantemente nocturnas, tivessem revertido à vida diurna depois de um período desvantajoso de actividade nocturna.
A evolução dos lepidópteros está também fortemente associada à evolução das plantas angiospérmicas (plantas com flor), das quais os primeiros se alimentam e são dependentes. Os primeiros lepidópteros deveriam ter trombas curtas e alimentar-se-iam de néctar apenas em flores com nectários extra-florais, mas também de outras fontes de açúcar, tais como a seiva.
A evolução dos longos proboscis destes insectos decorreu paralelamente com a evolução de flores com nectários menos expostos, localizados em locais menos acessíveis e que dependiam das borboletas e mariposas com trombas compridas para a polinização. O registo fóssil demonstra que as primeiras angiospérmicas apareceram no início do Cretácico, há cerca de 130 milhões de anos, período em que todos os lepidópteros existentes tinham mandíbulas adaptadas a cortar (à semelhança da actual família Micropterigidae, constituída por mariposas que voam de dia) e se alimentavam de pólen. Neste período outros insectos da família das moscas e das abelhas eram os principais polinizadores das plantas com flor e apenas no Terciário se deu a explosão de formas de angiospérmicas e de lepidópteros, tendo início o processo de co-evolução, que os tornou mutuamente dependentes.

A minha primeira aula de surf



Eu ainda sou do tempo dos telefones pretos, de fio, que se tinha de discar na roleta para marcar os numeros... em que, de vez em quando, as linhas se trocavam, ou então parecia que chovia dentro do nosso telefone... uma imagem que embora presente na minha memória já parece bastante distante e séculos away... Com o evoluir dos tempos, os telefones passaram a telemoveis e fazem um pouco de tudo... São máquinas fotograficas, são máquinas de filmar, são leitores de mp3 (um conceito que também nos era desconhecido até à bem pouco tempo), são rádios, são bilhetes escritos... E, agora, são os telemoveis (ou as empresas por detrás deles) que nos proporcionam momentos únicos, como este que eu tive... A minha primeira aula de surf!!! Tenho a dizer que foi muito fixe e, que apesar de ter durado uma hora, o tempo passou a voar!! Não sei descrever a sensação de se subir para uma prancha e se conseguir manter lá em cima de pé... Apenas posso dizer que não me importava nada de voltar a repetir!!

segunda-feira, setembro 10, 2007

Hoje estou...

a deprimir-me no sofá.
Pergunto-me como se sentirá uma noiva abandonada no altar? O que sentirá alguém que está prestes a abrir o seu coração para deixar entrar outra pessoa em tudo que tem de mais intimo e depois essa pessoa faz com que cresçam muros em vez de magia?

Depois de uma série de tragédias, Rhett perde a esperança, o seu coração está cansado de todo o amor que já sentiu. Esgotado e amargurado, ele parte, deixando Scarlett com a famosa frase:” Sinceramente minha querida, não me importo minimamente” ás imensas tentativas dela para que ele não parta, uma vez que ela se apercebeu tarde demais de que é ele que ela ama verdadeiramente.


sábado, setembro 08, 2007

32ª entrevista

Esta foi a última entrevista nesta sociedade. A boa noticia é que entre não sei quantos candidatos, escolheram dois e eu fui um deles. A má noticia é que acho que não vai ser a mim que vão fazer a proposta =(

The Gift - In repeat

Can you wait there for so long
Can you be there if I fall
Can you fall and stay strong
Can you dry your eyes and laugh
Can you show me your heart once more
Can you breath a new life now
Can I freeze this moment with you
Can my hand fix your heart and you
Did you ever touch the ground

Can we sing "out of time" in repeat, and look both of us underneathor forget and reset
Cause the beat will change your life, and the sweat will turn you on, and your veins will shine outside

Como reconhecer um terrorista?


Não usam iPod, são avessos à comida do McDonalds, teimam em fazer o check-in em grupo, e fazem questão de levar na cabina a mala em forma de bazuca. Um olhar mais atento permite reparar que os troncos são demasiado desenvolvidos. Na realidade, todos eles usam no dia-a-dia uma colete armadilhado com 6 kg de C4.


A questão que se coloca é: mas porque raio, FELIZMENTE, nunca houve nenhum atentado em Portugal?


Imaginem o seguinte cenário.Três terroristas chegam a Portugal para montar uma operação. Aterram no Porto, num domingo à noite, onde ficam duas horas à espera das malas, das quais duas nunca chegam a aparecer. Apanham um táxi para o centro da cidade. Assim que o carro pára na Avenida dos Aliados sentem-se imediatamente humilhados, insultados e roubados pelos 175 € pedidos pelo taxista. Pegam nas malas que lhes sobraram, e desaparecem no meio da multidão. O Futebol Clube do Porto foi campeão nacional e a Avenida dos Aliados está em festa. A sorte dos terroristas começa a acusar algum desgaste quando estes se deparam com a claque dos super-dragões. Dois deles são violentamente espancados, vestidos de mulher, e enviados para as urgências do Hospital de São João. O terrorista que escapou, ainda vestindo um traje de sevilhana, com os dois olhos negros, um braço partido e um pé engessado, espera 12 horas por notícias dos seus companheiros. Quando todos abandonam o hospital, juntam-se numa tentativa de se reorganizarem. Jantam num restaurante familiar perto do Bairro São Tomé. No final da refeição, um deles apresenta uma estranha reacção depois de comer umas natas do céu com validade de Setembro de 1997. É levado pelos amigos para uma residencial, ali perto do pólo universitário da Asprela, onde tentam descansar. São surpreendidos às 4 da manhã por um grupo de jovens universitários, embriagados, que entram pelo quarto e que os obrigam a fazer 367 brindes “vai a cima, vai a baixo e vai ao meio” com copos de cerveja cheios de bagaço. Dois dias depois, com o quarto virado do avesso, doze embalagens de aspirina mais tarde, e ainda sem conseguirem abrir bem os olhos, sentam-se numa esplanada para repensar o plano. Um autocarro com 35 anos, importado da Alemanha, com uma falha grave nos travões irrompe pela esplanada ceifando os três terroristas.Conclusão: ao que tudo indica vivemos num “mundo” ligeiramente mais perigoso do que aquele onde é criada a nata do terrorismo internacional. Correm rumores de que nos treinos da Al Qaeda quem não estiver motivado e não obtiver excelentes resultados, é ameaçado com a colocação numa célula terrorista na Covilhã.


Dr. Matrix

quinta-feira, setembro 06, 2007

quarta-feira, setembro 05, 2007

Agora já sabem onde é. Quando vos mandarem ir para lá, já sabem para onde ir!!! Fica perto d'Estocolmo na Suécia...

Mais uma noite para complicar o sistema!!

segunda-feira, setembro 03, 2007


Ninguém compreende como me sinto...
As coisas que se veêm por Lisboa...

Pensamento do dia:

"Estamos tão perto de estarmos tão longe"

Red Bull Air Race


E se alguém te oferecer flores?! Não, não é do teu novo desodorizante!! Provavelmente, tem a ver com aquele frigorifico recheado de garrafas de vinho...

Ui!! Esses olhinhos não enganam ninguém!!


As primas!!







Seiscentos mil espectadores encheram as margens do rio Douro tanto no lado do Porto como no de Gaia, para assistir à oitava etapa da Red Bull Air Race World Series. As estradas ficaram congestionadas e os comboios completamente cheios com os milhares de pessoas que se dirigiam para as margens do rio, onde no final o britânico Steve Jones (Team Matador) acabou por triunfar.
Depois do recorde de público presente numa qualificação registado na sexta (250 mil pessoas), no sabado as margens do rio Douro, entre o Porto e Gaia, voltaram a viver uma verdadeira enchente, com um total de 600 mil pessoas, o que transformou a estreia da Red Bull Air Race World Series no Porto e em Gaia, no maior evento desportivo da história de Portugal. Num duelo final surpreendente, Steve Jones (Team Matador) bateu o líder Mike Mangold (Team Cobra), por 0,38s e conseguiu o seu primeiro triunfo da temporada. Jones realizou uma corrida que conseguiu levar ao rubro a multidão que enchia por completo as margens do Douro. Na final o britânico protagonizou uma corrida electrizante e bateu-se com Mangold pelo troféu final. Um bom desempenho que acabou por ser saldado com um tempo final de 1m10.00s. O também britânico Paul Bonhomme (Team Matador) concluiu em terceiro, batendo o húngaro Peter Besenyei (Team Red Bull) na corrida de consolação.
“Foi de facto uma corrida fantástica! Uma luta muito renhida disputada nesta cidade tão bonita. Por momentos pensei que não ia abrir o champanhe, mas no fim tudo se resolveu. O avião é perfeito para este traçado que é muito rápido“, afirmou Steve Jones, o grande vencedor do dia. Também Mangold se mostrou satisfeito com o resultado obtido, já que mesmo não tendo vencido reforçou a sua posição de líder das World Series. “Estou contente com o resultado. Ontem a minha equipa ainda trabalhou no avião e isso deu frutos, mas os meus adversários estavam muito fortes“, admitiu o norte-americano. Mangold, com 41 pontos, mantém-se no comando do campeonato, que ainda terá mais duas etapas. Bonhomme é segundo, com 39 pontos. O britânico liderou durante quase toda a época, mas na etapa anterior, em Budapeste, perdeu a liderança para Mangold.
Os pilotos da Red Bull Air Race chegam a atingir velocidades de 400km/h e forças até 10G, numa corrida de slalom a poucos metros da água. As últimas duas etapas do campeonato estão agendadas para San Diego (USA) e Perth (Austrália).

Bem, não conheci o "homem de ouro" mas fui à After Party Red Bull friends!! A Maria é uma fixe!! =)

Só é pena não ser um dos verdadeiros =(

E depois do rio o que é que vem? Vou indagar...

O que estes rapazes não fazem por uma bebida grátis!!